Depressão canina

Depressão canina: o que é, causas e tratamento

A depressão canina é um assunto importante a ser abordado. Muitas pessoas acreditam que seja algum tipo de mentira ou que ela simplesmente não exista, mas seus sintomas são perigosos e prejudicam bastante o cãozinho. Animais também podem apresentar doenças mentais e todas elas merecem ser levadas a sério a fim de evitar sequelas.

Assim como nos humanos, a doença é bem silenciosa e, por isso, exige muita atenção da parte dos donos. Ela precisa ser identificada e tratada o mais rápido possível, fazendo com que o cachorro não precise passar por graves problemas ou não fique com sequelas no futuro.

Causas da depressão canina

Muito embora algumas mudanças possam parecer bastante sutis, a ponto de não incomodar muito os nossos amigos de 4 patas, é possível dizer que, às vezes, o cãozinho pode sentir bem mais do que nós. Por isso, é válido lembrar que eles também têm seu próprio mundinho e rotina. Abalar isso pode trazer algumas consequências para a sua saúde mental.

Uma das primeiras possíveis causas para o seu cãozinho andar bastante cabisbaixo é a morte de algum parente ou animalzinho que está próximo a ele. Muito embora não tenhamos muita noção de que os cães possam sentir a falta de outras pessoas de seu convívio, isso é sim possível.

A chegada de um novo membro para a família também pode ser a principal causa da depressão canina. Os animais não têm muita ideia do porque terem sido “deixados de lado”, então os ciúmes e os holofotes virados para um bebê ou um filhote podem acabar com a autoestima dele, deixando-o em um estado de tristeza.

Por fim, ainda é possível que ele não tenha se adaptado a um novo ambiente. Se você acabou de mudar de casa ou simplesmente fez uma reforma, é possível que ele esteja estranhando bastante. Os animais são muito sensíveis à mudança, então essa rapidez com que tudo foi efetuado pode deixá-lo um tanto confuso.

SintomasDepressão canina

Da mesma maneira que nós, humanos, sofremos com a depressão, os cãezinhos também sofrem. Independente do motivo, a doença precisa ser investigada para que eles não acabem ficando tristes por tempo demais. Mudanças de comportamento e de humor devem ser observadas um pouco mais de perto.

A falta de apetite é o principal sintoma, afinal, quase todo cãozinho é glutão. Quando o seu bichinho passa a não querer comer até mesmo os seus petiscos favoritos, está na hora de perceber que há algo de errado. Isso pode ser acompanhado pela perda de peso gradual.

A apatia é um sintoma bem evidente, também. Se o seu cãozinho passa o dia inteiro deitado, não mostra mais interesse pelos seus brinquedos favoritos e já não se dispõe muito para ficar de pé, há algo a se estranhar. Por isso, comece a observá-lo com bastante atenção.

outro grande problema é quando eles ficam bastante resistentes ao toque. Se o seu bichinho anda se sentindo bastante incomodado até mesmo na hora em que você quer fazer um carinho, desconfie. Todos os animais gostam de um afago, principalmente quando eles vêm diretamente de seus donos.

Atualmente, diante de uma correria em nossas vidas, acabamos não percebendo que o nosso animalzinho precisa de atenção. É importante lembrar que o animalzinho não possui uma carga de independência como a nossa e sempre precisam receber um carinho ou um pequeno sinal de que você ainda se importa com ele.

Tratamento

Até agora, você conseguiu ver que a depressão canina é algo bem sério e precisa ser tratada de maneira adequada para que o animalzinho não sofra. Sendo assim, o ideal é que você leve-o ao veterinário para que ele dê maiores orientações. As causas podem ser bem diferentes e, por isso, uma luz no fim do túnel é a melhor opção.

Quando você leva o seu cachorro para um médico veterinário, ele poderá diagnosticar com maior precisão se o seu cãozinho realmente está sofrendo de depressão ou se pode ser algum tipo de doença. Nesse caso, o ideal é que você preste atenção em suas orientações.

Caso ele seja realmente diagnosticado com a depressão, o ideal é que você descubra a causa. Se o motivo foi a perda de um companheiro, leve o cachorro para socializar pela vizinhança ou em parques. Se ainda for possível, você pode trazer mais um companheiro para o seu amigo de quatro patas.

De acordo com o caso apresentado ou com o grau de seriedade, o ideal é que o médico veterinário dê o diagnóstico para que você não medique o seu cachorro por conta própria. lembre-se que em alguns casos a medicação poderá realmente ser necessária.

Depressão canina: interferências

Depressão canina

De acordo com muitos veterinários, a doença pode ser extremamente perigosa porque não apenas mexe com o humor do seu cachorrinho como também com a sua rotina de uma maneira geral. Assim, torna-se perigoso esperar que o quadro evolua diante desse panorama.

Quando um cãozinho apresenta algum sinal de depressão canina, é bem provável que ele se mostre menos propenso a comer e, até mesmo, comece a ignorar tudo aquilo que lhe é oferecido. Então, pouco a pouco, ele vai perdendo peso e ficando fraquinho. Em muitos casos, essa condição psicológica pode acabar levando a um sério problema para o animal.

A prática de um adestramento incorreto, com o uso de agressão como intervenção, também pode afetar, e muito, a saúde mental do seu animal. Dessa forma, é interessante que você mude a abordagem e permita que o cãozinho se sinta bem mais à vontade dentro de seus próprios limites.

Empatia

Muito embora eles não possam se comunicar por meio da fala, os cachorros possuem uma visão muito geral sobre tudo o que acontece e, de fato, importam-se bastante com os humanos que ele ama. Por isso, quando você está triste, ele também pode ficar, mas vai te apoiar no momento difícil.

Pense nisso na hora de cuidar do seu companheiro quando ele mais precisar. Só assim, você poderá dar a ele uma vida muito mais tranquila, repleta de bem-estar e carinho.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *